www.carloscunha.net
unção dos doentes
 
 
Importante:
  1. Pedem ao Pároco a celebração da Unção dos Doentes: os próprios doentes, a família, o Ministros Extraordinário da Comunhão.
  2. Na Paróquia, em celebração comunitária, será no dia do doente ou em dia a combinar
 
PREPARAÇÃO DA CELEBRAÇÃO

(O celebrante que tiver de administrar a santa Unção a algum doente, informe-se do seu estado para ordenar, de harmonia com ele, a celebração quanto à escolha das leituras da Sagrada Escrituta e das orações. Disponha todas estas coisas, na medida do possível, com o próprio doente ou com a família dele, explicando o significado do sacramento. Se a reconciliação sacramental do doente tiver de fazer-se na mesma celebração, faça-se no começo do rito. Se não houver então reconciliação sacramental, faça-se oportunamente um acto penitencial. O doente, que não está de cama, pode receber o Santíssimo Sacramento na igreja ou noutro local conveniente, onde se possam reunir pelo menos os familiares e amigos que tomarem parte na celebração. O rito que abaixo se descreve observa-se mesmo quando a Unção é conferida simultaneamente a vários doentes, impondo as mãos sobre cada um e ungindo-os; as outras fórmulas recitam-se uma só vez no plural.)

RITOS INICIAIS

Celebrante: A paz do Senhor esteja convosco.

Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

Celebrante: (Conforme a oportunidade, tomando a água benta, asperge o doente e o quarto, dizendo esta fórmula ou outra) Lembre-nos esta água o baptismo que recebemos e recorde-nos Jesus Cristo, que nos remiu com a Sua paixão e ressurreição.

Celebrante: Senhor, nosso Deus, que dissestes por meio do vosso Apóstolo Tiago: "Algum de vós está doente? Chame os presbíteros da Igreja para que orem sobre ele, ungindo-o com o óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o doente e o Senhor o confortará, e, se tiver pecados, ser-lhe-ão perdoados", - em obediência à Vossa palavra, nós Vos pedimos que estejais presente no meio daqueles que estão reunidos em Vosso nome e que guardeis benignamente com a Vossa misericórdia o nosso irmão N. (e os outros enfermos aqui presentes). Vós que sois Deus, com o Pai, na unidade do Espírito Santo.

Todos: Amen.

ACTO PENITENCIAL

(Se não houver confissão sacramental, faça-se um acto penitencial, começando o celebrante deste modo:) Irmãos, reconheçamos as nossas culpas para podermos participar dignamente nesta celebração. Confessemos os nossos pecados:

Todos: Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, actos e omissões por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e Santos e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus nosso Senhor.

Celebrante: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

Todos: Amen.

LEITURA DA SAGRADA ESCRITURA

Ouvi, irmãos, palavras do Santo Evangelho segundo S. Mateus (Mt 8, 5-10,13):

Jesus entrou em Cafarnaum, e aproximou-se d'Ele um centurião, que Lhe fez esta súplica: "Senhor, o meu criado está deitado em casa com uma paralisia e sofre horrivelmente". Disse-lhe Jesus: "Eu irei curá-lo". Mas o centurião respondeu-Lhe: "Senhor, eu não mereço que entres debaixo do meu tecto. Diz somente uma palavra, e o meu criado ficará com saúde. É que eu não passo dum subalterno e tenho soldados sob as minhas ordens. Digo a um: "vai", e ele vai, a outro: "vem", e ele vem, e ao meu criado: "faz isto", e ele faz". Ao ouvi-lo, Jesus ficou admirado e disse àqueles que O acompanhavam: "Em verdade vos digo: em ninguém de Israel encontrei tão grande fé." Depois, Jesus disse ao centurião: "Vai, que hás-de ser atendido conforme acreditaste".

LADAÍNHA

Celebrante: Irmãos, com a oração da nossa fé peçamos ao Senhor pelo nosso irmão N. e imploremos humildemente:

Visitai-o, Senhor, com a Vossa misericórdia e confortai-o com a santa Unção.

Todos: Ouvi-nos, Senhor.

Celebrante: Livrai-o de todo o mal.

Todos: Ouvi-nos, Senhor.

Celebrante: Aliviai os sofrimentos de todos os doentes.

Todos: Ouvi-nos, Senhor.

Celebrante: Ajudai os que tratam dos doentes.

Todos: Ouvi-nos, Senhor.

Celebrante: Livrai-o do pecado e de toda a tentação.

Todos: Ouvi-nos, Senhor.

Celebrante: Concedei vida e saúde àquele a quem em Vosso nome, impomos as mãos.

Todos: Ouvi-nos, Senhor.

(Neste momento, o celebrante impõe as mãos sobre a cabeça do doente, sem dizer nada. Se o óleo já tiver sido benzido, diz a oração de acção de graças sobre o mesmo óleo.)

Celebrante: Bendito sejais, Senhor, Pai omnipotente, que por amor de nós e pela nossa salvação enviastes ao mundo o Vosso Filho.

Todos: Bendito sejais, Senhor.

Celebrante: Bendito sejais, Senhor, Filho Unigénito, que, tendo descido à nossa humanidade, quisestes dar remédio às nossas enfermidades.

Todos: Bendito sejais, Senhor.

Celebrante: Bendito sejais, Senhor, Espírito Santo Consolador, que com o Vosso poder continuamente nos dais coragem para suportarmos as enfermidades do nosso corpo.

Todos: Bendito sejais, Senhor.

Celebrante: O Vosso servo, Senhor, que é ungido na fé com este óleo santo, mereça ser consolado nas suas dores e confortado nas suas enfermidades. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Todos: Amen.

A SANTA UNÇÃO

(O celebrante toma o santo óleo e unge o doente na fronte e nas mãos, dizendo uma só vez:)

POR ESTA SANTA UNÇÃO E PELA SUA PIÍSSIMA MISERICÓRDIA O SENHOR VENHA EM TEU AUXÍLIO COM A GRAÇA DO ESPÍRITO SANTO

Todos: Amen.

PARA QUE, LIBERTO DOS TEUS PECADOS, ELE TE SALVE E, NA SUA BONDADE, ALIVIE OS TEUS SOFRIMENTOS.

Todos: Amen.

(O celebrante diz a oração:)

Oremos. Cristo, Redentor do Mundo, nós Vos pedimos: curai pela graça do Espírito Santo a fraqueza deste doente, sarai as suas feridas, perdoai os seus pecados, tirai-lhe todas as dores da alma e do corpo e retituí-lhe, por piedade, a plena saúde interior e exterior, para que, restabelecido graças à Vossa misericórdia, retome as anteriores ocupações. Vós que sois Deus, com o Pai, na unidade do Espírito Santo.

Todos: Amen.

CONCLUSÃO DO RITO

Celebrante: Oremos todos juntos a Deus, como Nosso Senhor Jesus Cristo nos ensinou:

Pai nosso, que estais nos céus,
santificado seja o vosso nome;
venha a nós o vosso reino;
seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje;
perdoai-nos as nossas ofensas,
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido;
e não nos deixeis cair em tentação;
mas livrai-nos do mal.

(No caso do doente comungar depois da oração dominical, procede-se como no rito da comunhão dos doentes. O rito termina com a bênçao do celebrante:)

Celebrante: Deus Pai te abençoe.

Todos: Amen.

Celebrante: O Filho de Deus te cure.

Todos: Amen.

Celebrante: O Espírito Santo te ilumine.

Todos: Amen.

Celebrante: Defenda o teu corpo e salve a tua alma.

Todos: Amen.

Celebrante: Ilumine o teu coração e te conduza à vida eterna.

Todos: Amen.

Celebrante: E a vós todos aqui presentes, abençoe Deus todo poderoso, Pai, Filho + e Espírito Santo.

Todos: Amen.

Voltar ao início